xmlns:fb="http://www.facebook.com/2008/fbml" xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> BLOG DO CRATO | O Crato na Internet desde 2005
.

VÍDEO - SAAEC entrega água preta de péssima qualidade à Vilalta, em Crato. www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense - Clique em Curtir e Adicione a sua Foto !

29 outubro 2014

Inscrições para o IV Simpósio Internacional sobre Padre Cícero poder ser feitas até 10 de novembro

ivsimposiopecicero

 

Pesquisadores do Brasil e do exterior estarão reunidos, de 17 a 21 de novembro no Cariri, para participar do IV Simpósio Internacional sobre o Padre Cícero, que acontece em Juazeiro do Norte, e deverá reunir cerca de mil participantes inscritos, pesquisadores e intelectuais de vários países e estados brasileiros. A temática central será “E...Onde Está Ele”, que faz referência ao prosseguimento dos estudos voltados ao aprofundamento da temática sobre um dos sacerdotes mais polêmicos da história do Brasil. As inscrições para o evento continuam abertas na Universidade Regional do Cariri (URCA), por meio do site da instituição, que é www.urca.br.
Os interessados podem ser inscrever para participar das palestras até o próximo dia 10 de novembro. Já os trabalhos podem ser inscritos para apresentações durante o evento, até a próxima quinta-feira, dia 30. Segundo os organizadores, já há um grande número de participantes inscritos e os maiores pesquisadores sobre o Padre Cícero e religiosidade do Nordeste e especificamente no que diz respeito aos fetos de Juazeiro estarão participando, a exemplo da escritora norte-americana, Candace Slater, além da pesquisadora Luitigarde Barros, professora Dra. da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ).
O evento contará ainda com o Professor Dr. Marcelo Camurça, da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) e Guy Martini, da Rede Global de Geoparks, da França, entre outros estudiosos do Brasil e países principalmente da Europa. A programação cultural constará de apresentações de grupos da cultura popular, documentários, exposições de esculturas em madeira e xilogravura e caminhada cultural.
(Assessoria de Imprensa)

Ministério Público Federal pede apoio da Diocese do Crato para fiscalizar transporte de romeiros

MPF1-mini

O Ministério Público Federal (MPF) em Juazeiro do Norte enviou ofício à Diocese do Crato para solicitar apoio ao Bispo Dom Fernando Panico nas ações que visam garantir a segurança de romeiros que viajarão até a região de Crato/Juazeiro/Barbalha durante a Romaria de Todos os Santos. Por recomendação do MPF e do Ministério Público do Estado do Ceará (MP-CE), órgãos de trânsito já estão realizando fiscalização conjunta para evitar o transporte ilegal de passageiros em veículos de carga.
A fiscalização conjunta ocorrerá até 3 de novembro e será realizada pelos órgãos de trânsito nas rodovias estaduais e interestaduais. O Departamento Estadual de Trânsito (Detran), a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), a Polícia Rodoviária Federal (PRF), a Polícia Rodoviária Estadual e Guardas Municipais e Trânsito estarão mobilizadas no trabalho.
Na recomendação encaminhada a esses órgãos públicos, ainda em setembro, o MPF e o MP-CE pediram maior atenção ao cumprimento da Resolução nº 82 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), que regulamenta os critérios para o transporte de pessoas em veículos de carga. Também cobraram mais rigor na concessão de licenças para veículos.

Flavio Pinto News

Aumento de 368% no ISS e Alvará de Licença para taxistas e mototaxistas gera revolta nas duas categorias

mototaxijn


Sem nenhuma justificativa, a  Prefeitura de Juazeiro do Norte aumentou o ISS e o Alvará de Licença dos taxistas e mototaxistas. Até o ano de 2013 os taxistas pagavam R$ 158,00 pelo Alvará e ISS somados e a partir de 2015 os taxistas serão obrigados a pagar R$ 429,00. Um  aumento de 368% que prejudica os profissionais que fazem o transporte de passageiros em nossa cidade. Os mototaxistas pagarão o mesmo valor dos taxistas já que o novo Código Tributário não faz distinções entre táxi e mototáxi.
As categorias de taxistas e mototaxistas prometem fazer manifestação contra o aumento abusivo, principalmente pelo fato de que o município não contribui com nenhuma contrapartida, pois as ruas e avenidas da cidade estão cada vez mais mais cheias de buracos.

Flavio Pinto News

Festival Caldeirão de Danças no Crato

dancacariri2Imagem ilustrativa

Neste final de semana, a partir da sexta-feira (31), será realizada no Crato, a primeira edição do Festival Caldeirão das Danças. O evento é uma realização do coletivo “O Crato Tem Dança”, com o apoio de várias instituições e grupos de dança da região.
Apesar de ser a primeira edição, este já é um dos maiores encontros de grupos e coletivos de dança da região. Ao todo, serão 16 companhias vindas de Recife, Olinda, Paulista (PE), Exu, Crato, Juazeiro do Norte, e Fortaleza, que irão realizar 26 apresentações durante as três noites de evento (sexta, 31; sábado, 01; e domingo, 02).
As apresentações acontecerão na Praça Siqueira Campos, no Centro do Crato. Segundo Junnior Pessoa, um dos coordenadores do festival, o local foi escolhido por já estar concentrando eventos de caráter independente, realizados pela força jovem do cariri, como por exemplo o Estopim e a Guerrilha do Ato Dramático Caririense.
Ainda de acordo com Junnior, este é um evento independe. Encabeçado por dançarinos e professores de dança da região, irá promover ao público caririense o acesso a grandes espetáculos de companhias já consolidadas, bem como espaço para grupos iniciantes demonstrarem suas atuações.
Oficinas
O festival contará ainda com a oficinas pela manhã e tarde da sexta e sábado.
Na sexta (31) e no sábado (01) teremos das 10h às 11h30 uma Oficina de Frevo, com Deyvison Vicente, na Escola Profissionalizante Maria Violeta Arraes de Alencar. E das 13h30 as 15h uma Oficina de Dança Contemporânea e Intervenções com Silvia Mouras, também na Escola Violeta Arres.
(Colaborou Érika Souza)

Flavio Pinto News

Para CNI, aumento da Selic surpreendeu setor produtivo

selic

O reajuste da taxa Selic – juros básicos da economia – para 11,25% ao ano surpreendeu o setor produtivo. A avaliação é da Confederação Nacional da Indústria (CNI), que defendeu o corte de gastos públicos para evitar elevações maiores.

Para a entidade, o Brasil precisa criar condições para conter a inflação e reduzir os juros de forma sustentada. O caminho para isso, de acordo com a confederação, passa pela redução dos gastos públicos.

“O desafio do país é criar as condições para uma redução sustentada da taxa de juros. A adoção de uma política fiscal restritiva é fundamental para a reversão das expectativas inflacionárias e para que o ciclo de alta dos juros seja o mais curto possível”, destacou a CNI em nota.

Segundo a CNI, o Banco Central teve de aumentar os juros para trazer a inflação de volta para a meta, de 4,5% com tolerância de dois pontos percentuais, podendo chegar a 6,5%. O comunicado destacou que, em setembro, a inflação oficial pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) chegou a 6,75% no acumulado de 12 meses.

 

Agência Brasil

Justiça dá 15 dias para Funai retomar demarcação de Terra Indígena no Pará

indiosgaranikaiowa

A Justiça Federal deu à Fundação Nacional do Índio (Funai) prazo de 15 dias para dar sequência ao processo de demarcação da Terra Indígena Sawré Muybu, dos índios munduruku, em Itaituba, oeste do Pará. De acordo com a Justiça Federal, o procedimento de demarcação já ocorre há 13 anos, e foi paralisado “inexplicavelmente” no ano passado.

A terra Sawré Muybu está localizada na região onde o governo pretende construir a Usina Hidrelétrica de São Luiz do Tapajós. Com a construção da usina, explica a Justiça Federal, aldeias, florestas e cemitérios da terra indígena serão alagados. Antes de decidir sobre a demarcação, o juiz Rafael Leite Paulo, da Vara Federal de Itaituba, questionou a Funai, e a fundação informou que o Relatório Circunstanciado de Identificação e Delimitação da Terra Indígena já está pronto, dependendo de apreciação e publicação.

A área tem pouco mais de 178 mil hectares, e o processo de demarcação teve início em 2001. O relatório da terra indígena está pronto desde 13 de setembro de 2013. O passo seguinte do processo, a publicação do relatório no Diário Oficial da União, necessário para homologação e registro da demarcação, não ocorreu, e o processo parou. Procurada pela reportagem, a assessoria da Funai não foi encontrada para comentar o caso.

Segundo a Justiça Federal, a fundação teria argumentado que não havia prazo definido para concluir o procedimento demarcatório, e “estava priorizando demarcações nas regiões Nordeste, Sul e Sudeste do Brasil”. Em sua decisão, Paulo diz que “o processo está parado, sem um fundamento válido, mas tão somente invocando uma genérica e vazia alegação de priorização das regiões[mencionadas], e assim os direitos dos indígenas seriam perpetuamente postergados, uma vez que as prioridades estabelecidas não abarcaram o processo demarcatório da terra indígena Sawré Muybu”.

Editor Stênio Ribeiro

Agência Brasil

PF faz intercâmbio com 12 países para combater tráfico internacional de drogas

policia-federal
A Polícia Federal (PF) iniciou hoje (29) intercâmbio com 12 países para combater o tráfico internacional de drogas e outros crimes em aeroportos. O Programa de Cooperação Internacional em Aeroportos (Intercops) terá duração de duas semanas e contará com a participação de: África do Sul, Alemanha, Angola, Austrália, Catar, França, Guiana, Marrocos, Namíbia, Nigéria, Paraguai e Reino Unido.

“Além do intercâmbio de boas práticas, vamos consolidar uma rede de inteligência entre policiais que atuam em aeroportos. Essa atividade de troca de informações é usual, mas observamos novos destinos, como os países da África e a Austrália, com os quais a gente não tem contato cotidiano”, destacou o superintendente regional da PF em São Paulo, Roberto Troncon Filho.

O programa será operado no Aeroporto Internacional de Guarulhos que, segundo a PF, é o local onde mais se apreende cocaína no mundo. Em 2013 foram 1,3 mil quilos, com as prisões de 320 traficantes. “Vamos consolidar uma rede de inteligência entre polícias internacionais que atuam em aeroportos”, ressaltou Troncon. Estão previstas dez oficinas até o final da próxima semana.

Além do tráfico de drogas, o programa prevê treinamento contra os crimes de tráfico de pessoas, evasão de divisas, lavagem de dinheiro e tráfico de animais silvestres. “[Vamos compartilhar] nossa expertise, resultante dos grandes eventos ocorridos no Brasil, a Rio+20, a Jornada Mundial da Juventude, a Copa das Confederações e a Copa do Mundo. Toda essa preparação bem como tudo que investimos nos permitiu estar aqui com um nível de experiência muito maior”, disse o superintendente.

 

Agência Brasil

Diretor diz à CPMI que não sabia de desvios na Petrobras

br2
O diretor de Abastecimento da Petrobras, José Carlos Cosenza, depôs hoje (29) na comissão parlamentar mista de inquérito (CPMI) que investiga denúncias de corrupção na companhia e disse que não tem conhecimento dos fatos denunciados nos depoimentos do ex-diretor Paulo Roberto Costa e do doleiro Alberto Youssef, presos pela Polícia Federal na Operação Lava Jato.

Cosenza repetiu diversas vezes aos parlamentares que não sabia dos desvios de recursos da Companhia, nem do pagamento de propina a partidos políticos, relatados pelos dois acusados em delação premiada à Justiça. Ele disse que a Petrobras está fazendo uma investigação interna sobre os fatos, assim como o Ministério Público e a Polícia Federal.

Indagado se o cartel formado por empreiteiras que usam os contratos com a Petrobras para pagar propinas aos partidos continua, Cosenza negou. “Eu desconheço a existência do cartel. Se eu desconheço, como é que eu daria continuidade?”, disse.

Ele também falou que nunca esteve com Youssef, nem com o deputado Luiz Argôlo (SD-BA), que está sofrendo processo de cassação na Câmara por ter sido denunciado de ter recebido dinheiro de Alberto Youssef proveniente de fontes ilícitas. “Nunca estive nem com um nem com outro [Youssef e Argôlo]. Nem os conheço pessoalmente”, ressaltou o diretor da Petrobras.

Cosenza admitiu, no entanto, que se encontrou com seu antecessor na diretoria de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, depois que ele saiu do cargo e já tinha sido denunciado na Operação Lava Jato. “Desde que eu assumi a diretoria da Petrobras eu tive três telefonemas com o senhor Paulo Roberto Costa. E tive dois encontros. Foram esses os contatos: três vezes por telefone e duas vezes pessoal”, disse. Segundo ele, os encontros foram para tratar dos procedimentos na diretoria e questões técnicas, não sobre os fatos denunciados pela polícia.

Ele admitiu ainda ter passado por treinamento na empresa antes do depoimento na CPMI. Segundo o diretor da estatal, foi um “treinamento comum para uma apresentação dessa magnitude”, mas que não foi o motivo para o adiamento de seu depoimento. Cosenza deveria ter deposto na comissão na semana passada, mas apresentou um atestado médico alegando problemas cardiológicos.

Ele relatou ainda que antes de assumir a diretoria de Abastecimento já coordenava projetos na diretoria e, por isso, já tinha contato com as empreiteiras citadas nas denúncias, mas negou mais uma vez que tivesse conhecimento de casos de pagamento de propinas por meio dos contratos firmados por elas.

José Carlos Cosenza se comprometeu a enviar, dentro de 15 dias, uma lista para a CPMI, relatando todos os contratos que assinou desde que assumiu a diretoria no lugar de Paulo Roberto Costa. Deverão ser listados os contratos que passaram por licitação e os que tiveram o processo licitatório dispensado, além das empreiteiras com as quais os contratos foram firmados.

Ao fim do depoimento, o presidente da CPMI, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), o relator, deputado Marco Maia (PT-RS), e os líderes partidários se reuniram e decidiram prorrogar as investigações da comissão até o dia 22 de dezembro. Para isso, eles precisarão recolher as assinaturas de 155 deputados e 27 senadores.

Agência Brasil

Caso Pizzolato reforça necessidade de mudanças no sistema carcerário

pizzolato

A justificativa acatada pela Justiça italiana para não extraditar o ex-diretor de Marketing do Banco Brasil, Henrique Pizzolato, a inadequação do sistema prisional brasileiro, em função da ausência dos pressupostos mínimos humanitários, não é novidade para quem lida com o setor. Apesar das denúncias feitas repetidamente, entidades dizem que a questão vem sendo negligenciada pelo Poder Público.

De acordo com a Pastoral Carcerária, quase todos os presídios brasileiros são insalubres, e não há uma política consistente para recuperação dos presos. "Será que as decapitações nos presídios, a morte de pessoas, queima de ônibus, não bastam para chamar a atenção para a questão? Quantas mortes ainda serão necessárias para que se provoque uma mudança? A situação prisional do encarceramento em massa é uma bomba para explodir. Temos anunciado isso há tempos", diz o coordenador nacional da pastoral, padre Valdir João Silveira. "Tenho andado pelo Brasil e cada vez mais presídio é curral de animal para matadouro. Sair vivo é um milagre, sair sem ferimento é quase impossível", acrescentou.

De acordo com Silveira, o principal passo para resolver a questão é o desencarceramento, com a adoção de medidas alternativas às prisões. Ele defende que apenas o cumprimento na íntegra da Lei de Execução Penal, Lei 7.210/1984, reduziria à metade a população carcerária. Isso porque 44% das pessoas em regime fechado aguardam julgamento, o que, em muitos casos, poderia ser feito em liberdade ou mediante monitoramento. O encarceramento deveria ser visto como medida de exceção, segundo ele.

Somam-se a esses presos, o caso de muitas mulheres condenadas por tráfico ou porque levam droga para o marido preso. "Elas são pobres, e vivem disso. Poderiam estar em casa com os filhos. Ao prender, pune-se toda uma geração que vai crescer com o pai e a mãe presos. Está se preparando a violência de amanhã. A Justiça Penal julga olhando para o passado, sem nenhuma responsabilidade com o futuro", de acordo com o padre Valdir.

A Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) emitiu nota na qual diz que o argumento usado pela Justiça italiana “retrata a realidade caótica do sistema carcerário do país, cenário que a magistratura tem denunciado repetidamente". O texto diz que o sistema carcerário passa por situação preocupante. A maioria das prisões não garante a segurança necessária e nem mesmo as mínimas condições humanas para ressocialização dos presos. "É uma questão grave, de violação dos direitos humanos. É preciso uma política permanente de investimentos nos presídios do país, que vem sendo negligenciada. A negativa da extradição de Pizzolato expõe ainda mais a situação degradante e alarmante das prisões".

Segundo o Conselho Nacional de Justiça, a população carcerária no Brasil soma 715.655 presos - o dobro da capacidade. Para minorar essa questão, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, disse hoje (29) que vai encaminhar ao Congresso Nacional um conjunto de propostas feitas pelo Conselho Nacional do Ministério Público e pelo Conselho Nacional de Justiça, apoiadas pelo Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil e pelo Ministério da Justiça. Segundo Janot, o conjunto de propostas, desde já chamado Segurança sem Violência, sugere a aplicação de políticas públicas com soluções de curto, médio e longo prazo.

Agência Brasil

Ministra nega aumento da desigualdade entre homens e mulheres

ministramulheres
Brasília - A ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres, Eleonora Menicucci, participa de audiência na Comissão de Direitos Humanos do Senado em comemoração ao Dia da Mulher (Antonio Cruz/Agência Brasil)
Desde 2010, 11 mulheres foram nomeadas ministras, lembrou Eleonora Menicucci, ao  contestar o  Fórum Econômico  Mundial      Antonio Cruz/Agência Brasil

A ministra de Políticas para as Mulheres, Eleonora Menicucci, contestou hoje (29) dados do relatório do Fórum Econômico Mundial sobre desigualdade de gênero. Segundo o documento, o Brasil caiu nove posições no ranking que avalia as diferenças entre homens e mulheres em todo o mundo.

Em nota, a ministra contestou o relatório, que diz que o Brasil não avançou no quesito participação política das mulheres. De acordo com Eleonora Menicucci, nos últimos quatro anos, 11 mulheres assumiram cargos de ministra.

“Com relação à Presidência da República, salta aos olhos a magnitude desse avanço: tivemos não só a primeira mulher eleita presidenta, como, exatamente agora, a primeira mulher presidenta reeleita. Isso é inquestionável pela força simbólica, que rompe com a cultura patriarcal”, acrescentou a ministra.

O país ainda não chegou ao patamar necessário, disse ela, lembrando a baixa presença de mulheres no Congresso Nacional. “Por isso, mais do que nunca, é urgente o Brasil realizar uma reforma política, que contemple inclusive a paridade de gênero nas listas de candidaturas.”

Sobre a situação das mulheres no mercado de trabalho, Eleonora Menicucci ressaltou que, no ano passado,  o crescimento dos empregos formais foi maior para as mulheres e que o rendimento médio delas apresentou elevação superior. A ministra reconheceu, porém, que ainda existe discriminação que contribui para manter os ganhos das mulheres abaixo dos dos homens quando ocupam a mesma função. Segundo ela, as políticas públicas de fortalecimento do salário mínimo também favorecem as trabalhadoras do país.

Quanto às questões de saúde e educação, a ministra disse que o estudo do Fórum Econômico Mundial reconhece os esforços que o país tem feito para que as desigualdades sejam rompidas. Segundo o Fórum Econômico Mundial, o Brasil está entre os países que encerraram a diferença entre gêneros nos quesitos educação e saúde, mas não diminuíram as desigualdades relativas à participação econômica nem à capacitação política.

Agência Brasil

Após campanha, Dilma descansa em base naval na Bahia

Dilma_RousseffA presidenta Dilma Rousseff viaja nesta quarta-feira (29) para a Bahia. Ela vai passar os próximos dias descansando na Base Naval de Aratu, próxima a Salvador.

De acordo com a assessoria de imprensa do Palácio do Planalto, a previsão é que Dilma retorne a Brasília no próximo fim de semana. De propriedade da Marinha, a Base Naval de Aratu é usada pela presidenta para descanso em alguns feriados.

Acompanhada de sua filha, Paula, e do neto, Gabriel, a presidenta entrou por volta de 18h30 no helicóptero com destino à Base Aérea de Brasília, de onde embarca para a Bahia. Durante o período eleitoral, Dilma sofreu várias vezes de rouquidão, devido à agenda intensa e chegou a ter uma queda de pressão após um dos debates de que participou.

Na manhã de hoje, a presidenta esteve, depois de mais de um mês, no Palácio do Planalto, para despachos internos, e recebeu um telefonema da chanceler alemã, Ângela Merkel.

No período de campanha, devido aos vários compromissos, Dilma recebeu os ministros no Palácio da Alvorada, sua residência oficial, e viajou a várias regiões do país para participar de comícios, caminhadas e debates. Em algumas dessas viagens, constavam em agenda oficial vistorias a obras.

A última vez que a presidenta despachou no Palácio do Planalto foi no dia 19 de setembro, quando recebeu jovens atletas olímpicos e paralímpicos.

Antes de viajar, a presidenta ainda se encontrou, nesta tarde, no Palácio do Alvorada, com os ministros da Casa Civil, Aloizio Mercadante, e da Justiça, José Eduardo Cardozo. Junto com Mercadante, Dilma recebeu ainda os senadores Antônio Carlos Rodrigues (PR-SP) e Alfredo Nascimento, (PR-AM).

Agência Brasil

Cada vez mais brasileiras esperam chegar aos 30 para ter primeiro filho

filho
Sobe o número de brasileiras que cada vez mais esperam os 30 anos de idade, ou mais, para ser mãe pela primeira vez, como mostra o estudo Saúde Brasil, do Ministério da Saúde. O estudo constatou que quanto maior o grau de escolaridade, mais tarde as mulheres optam pelo primeiro parto.

Segundo o Saúde Brasil, o percentual de mães com primeiro filho na faixa etária de 30 anos cresceu na última década, passando de 22,5%, em 2000, para 30,2%, em 2012. Já o número de mulheres com menos de 19 anos, que tiveram filhos, caiu de 23,5% para 19,3% no mesmo período.

Apesar do aumento na idade geral para o primeiro filho, as diferenças ligadas à escolaridade são grandes. Enquanto pouco  mais de 45% das mulheres com 12 anos ou mais de estudos têm o primeiro filho depois dos 30 anos, mais da metade das que têm menos de sete anos de estudo têm o primeiro filho antes dos 20.

Os percentuais mais altos de mulheres que se tornam mães com 30 anos ou mais são nas regiões Sudeste e Sul, com 34,6% e 33,6%, respectivamente. No Centro-Oeste, a taxa cai para 28,8%, seguido-se o Nordeste com 26,1% e o Norte com 21,2%. Para o Ministério da Saúde, é um sinal de que as mulheres estão com mais acesso a anticoncepcionais, e podem planejar a vinda do primeiro filho, o que é uma tendência dos países desenvolvidos.

 

Agência Brasil

Brasil é um dos poucos países que diminuíram diferenças sociais, diz relatório

igualdedesocial
Enquanto a desigualdade entre ricos e pobres tem sido ampliada na maior parte do planeta, no Brasil tem ocorrido o oposto, apesar de o país continuar entre os mais desiguais do mundo. É o que aponta o relatório Equilibre o Jogo: É Hora de Acabar com a Desigualdade Extrema, divulgado hoje (29) pela Oxfam – organização não governamental que desenvolve campanhas e programas de combate à pobreza em todo o mundo.

“O Brasil tem apresentado um padrão diferenciado, e está entre os poucos países que estão tendo sucesso em diminuir a diferença entre os mais ricos e os mais pobres”, disse o diretor da Oxfam no Brasil, Simon Ticehurst, à Agência Brasil . Ele acrescentou que entre os Brics [bloco que agrega também Rússia, Índia, China e África do Sul], "o Brasil é o único que está conseguindo reduzir a desigualdade. E, dentro do G20, é o que está tendo maior sucesso nessa empreitada, ao lado do México e da Coreia do Sul, que, apesar dos avanços, figuram em um patamar inferior ao do Brasil [no que se refere a diminuição das desigualdades]”.

De acordo com ele, entre os fatores que colocam o país nessa situação estão os programas de transferência de renda como o Bolsa Família, iniciativa que, inclusive, tem sido adotada por outros países, lembra ele. Além disso, ao promover "aumento constante e um pouco acima da inflação” do salário mínimo, o Brasil protege os setores mais baixos da economia. O salário mínimo nacinal cresceu quase 50% em termos reais, entre 1995 e 2011, e contribuiu para declínio paralelo das situações de pobreza e desigualdade, informou Ticehurst.

Outro ponto favorável, que tem melhorado a situação do país, é a ampliação e melhoria do acesso a serviços básicos públicos, em especial à saúde e à educação. “Investir em serviços públicos gratuitos é algo essencial para diminuir a distância entre ricos e pobres. Nesse sentido, vale ressaltar que privatizar saúde e educação implica em dificuldades para a ascensão social das pessoas", argumentou.

Apesar de ter melhorado, nos últimos anos, a distribuição de riquezas, o Brasil continua entre os países mais desiguais do mundo. “Há ainda muito por fazer”, ressalta Ticehurst, lembrando que “se antes o desafio era universalizar, agora o desafio é dar qualidade a esses serviços”.

“Houve avanços no combate à pobreza e desigualdade, mas para continuar melhorando é necessário aprimorar as políticas sociais e os serviços básicos, principalmente em termos de qualidade. Além disso, é preciso rever a questão tributária e fiscal, de forma a mudar do atual sistema regressivo para um progressivo, no qual quem tem mais contribui mais e quem tem menos contribui menos”.

Em sua avaliação, a reforma política precisa entrar na agenda do país, na busca por uma representatividade mais próxima aos interesses dos brasileiros. “É também necessário tocar as causas estruturais dessa desigualdade histórica, que afeta o país desde a época da colonização, feita por exploração e com extrema concentração de terras”.

Segundo ele, ao longo da história o Brasil valorizou demasiadamente “uma elite masculina e o patriarcado", e a escravidão resultou em grandes diferenças econômicas e sociais, a partir da cor. Disse ainda que "tudo precisa vir acompanhado de uma base mais sólida para o crescimento sustentável”.

 

Agência Brasil

Renan diz que Senado derrubará decreto que cria conselhos populares

renan
Brasília - Sessão plenária deliberativa do Senado discute a criação da CPI da Petrobras. Na foto, o presidente do Senando, Renan Calheiros (José Cruz/Agência Brasil)
Decreto enfrenta resistância dos parlamentares há muito tempo, diz senadorJosé Cruz/Agência Brasil

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), disse hoje (29) que “dificilmente” o decreto presidencial que cria a política e o sistema nacional de participação popular será mantido na Casa.

Ontem (28), a Câmara dos Deputados aprovou um projeto de decreto legislativo que derruba o decreto presidencial e agora o Senado vai votar o projeto. Se o projeto de decreto legislativo for aprovado, o decreto presidencial será revogado.

De acordo com Renan, os senadores também vão aprovar o projeto de decreto legislativo aprovado pelos deputados. “Essa coisa do decreto, eu não enxergo como derrota. Já havia um quadro de insatisfação com a aprovação dessa matéria. Ela ser derrubada na Câmara não surpreendeu. Da mesma forma que não surpreenderá se ela for, e será, derrubada no Senado Federal.”

Ele lembrou que há muito tempo a proposta de criação de conselhos populares enfrentava resistência, mas negou que a tendência de rejeitá-la tenha relação com o resultado das eleições. O decreto presidencial prevê a criação de conselhos com a participação de membros de entidades da sociedade civil organizada, como sindicatos, por exemplo, para auxiliar o governo na tomada de decisões, em contato direto com ministérios para a formulação de políticas públicas.

Muitos parlamentares, no entanto, entendem que, pela proposta, esses conselhos se sobrepõem às atribuições do Congresso Nacional e podem evitar que alguns temas sejam debatidos no Parlamento. “Essa dificuldade já estava posta desde antes das eleições. Apenas se repete. Essa coisa da criação de conselhos é conflituosa, não prospera consensualmente no Parlamento. Deverá cair”, reiterou Renan.

O senador criticou as declarações do secretário-geral da Presidência da República, ministro Gilberto Carvalho, que considerou a derrubada do decreto presidencial na Câmara uma “vitória de Pirro”, que “não significa nada, a não ser a vontade conservadora de impor uma derrota política à presidenta”. A expressão "vitória de Pirro" é usada no caso de conquistas obtidas por meio de esforços demasiado penosos.

Para Renan, o ministro não sabe do que está falando. “Sinceramente, mais uma vez, o ministro Gilberto Carvalho não está sabendo nem o que está falando”, afirmou.

O presidente do Senado admitiu, porém, que existem muitos projetos prioritários na pauta da Casa e que ela precisará ser “organizada” para definição das próximas votações. No entanto, Renan lembrou que o projeto de decreto legislativo aprovado pela Câmara está tramitando em regime de urgência e deverá ter prioridade, mas a data para a votação ainda será marcada.

Outro projeto que deverá ser votado logo no Senado é o que trata da troca do indexador das dívidas dos estados com a União. Ao longo de todo o ano, os senadores discutiram o assunto e diversos governadores estiveram em Brasília negociando para que suas dívidas sejam atualizadas com juros menores. Segundo Renan, o projeto será finalmente votado. Ele lembrou que havia uma negociação com o governo para que, tão logo passasse o segundo turno das eleições, fosse votada a troca do indexador das dívidas. "É um assunto prioritário para a próxima semana. Há um compromisso em relação a esse calendário tanto do Senado quanto do Ministério da Fazenda.”

Renan Calheiros falou também sobre as eleições para presidente do Senado, em fevereiro do ano que vem, quando muda a legislatura e os recém-eleitos tomam posse. O PMDB se manterá como o maior partido da Casa e, por isso, tem direito a indicar um nome para a presidência. Ele negou, no entanto, que seja candidato à reeleição neste momento. “Meu nome não está posto. Nunca acontece de um nome ficar posto por decisão pessoal. Quando isso ocorre, é produto da vontade da maioria da bancada. Mas essa é questão para janeiro. Em janeiro, o PMDB senta, conversa e escolhe o candidato a presidente."

Agência Brasil

Carro voador é apresentado em festival de tecnologia na Europa

carrovoador

O sonho do carro voador, que povoou o imaginário de entusiastas como Santos Dumont, pioneiro da aviação, parece cada vez mais próximo da realidade. Um protótipo avançado de carro com asas, o AeroMobil 3.0, foi apresentado hoje (29) em Viena, na Áustria, durante o Pioneers Festival, um dos maiores festivais de tecnologia da Europa.

O modelo, desenhado e produzido pelos engenheiros Stefan Klein e Juraj Vaculik, da companhia eslovaca AeroMobil, tem design futurista e asas retráteis localizadas atrás da cabine, que abriga duas pessoas. Com estrutura em aço e fibra de carbono, é capaz de voar 875 quilômetros (km) de distância com um tanque cheio de gasolina regular, e chega a atingir 160 km/h como carro, e 200 km/h como avião.

Para os engenheiros, o AeroMobil mudará o conceito de transporte pessoal no futuro e pode se tornar uma opção para pequenas viagens e deslocamentos regulares, principalmente em países onde a infraestrutura das estradas não é tão boa.

Como um carro, o modelo tem 2,2 metros de largura, por 6 metros de comprimento, e pode ser estacionado em qualquer vaga padrão. Como avião, pode decolar e aterrizar em solo pavimentado ou gramado, a uma velocidade de 130 km/h, sendo necessários 200 metros de pista para a decolagem e 50 metros para a aterrizagem.

Em desenvolvimento desde 1989, o protótipo fez seu voo inaugural e está prestes a ser homologado. A empresa não fala em uma data de lançamento do modelo no mercado, e nem em preços, mas diz que está próximo de ser comercializado.

Este não é o primeiro modelo de carro voador a ser lançado no mundo. Nos Estados Unidos, a companhia Terrafugia, baseada em Massachusetts, se prepara para colocar no mercado americano o aerocarro Transition. O modelo foi autorizado a trafegar pelas autoridades americanas e deve ser vendido por US$ 300 mil.

Na Holanda, um carro-helicóptero, o PAL-V, com hélices retráteis, foi apresentado ao mercado, e deve ser comercializado a partir de 2016. O modelo tem preço estimado em US$ 395 mil.

Agência Brasil

Os três cavalos - Por: Emerson Monteiro

Em um apólogo do escritor cearense Gustavo Barroso, li que viajavam por estradas desconhecidas do Sertão três animais de montaria: um cavalo velho e dois fogosos potros.

Trotaram, trotaram, até chegar numa encruzilhada, bifurcação de estrada para eles indefinida.

Sem saberem qual a alternativa correta lhes beneficiaria nos objetivos da viagem, iniciaram demorada consideração quanto ao caminho a tomar dali adiante. Cada potro, por sua vez, no afã da juventude dos animais cheios de energia, optava por um dos lados, enquanto o cavalo velho, matreiro, reticente, guardava forças a momentos melhores e reconhecia pouca disposição de realizar aventura, e buscar comprovar a certeza da dúvida daquele impasse. Ele ali permaneceria no mesmo lugar, enquanto os dois ferrenhos oponentes provariam na prática a execução das suas teses, e que esperaria o retorno daquele que errasse, porquanto quem acerta só deixa a lembrança de haver, um dia, vivido entre nós.

Assim aconteceu: Depois de longas horas de espera, volta potro que tomara uma das pernas de estrada, a da esquerda, ou a da direita (sei lá!), hoje não lembro mais. Todo latanhado de espinho, suado, sujo de lama e ofegante disse o cabisbaixo animal:

- Ele estava com razão. Sigamos, pois, a outra linha da estrada.

O cavalo velho, então, convida-o paternalmente para repousar um pouco antes de prosseguirem a jornada; e sentenciou:

- Os que erram ensinam duas vezes. Uma, quando decidem agir sem ainda dominar de tudo a situação, negando acomodação e indecisões. Outra, ao responder pelas consequências de recomeçar a tarefa, agora de um jeito provado e exemplo aos demais que apenas observavam a experiência da coragem de quem alimenta cumprir o seu papel de vida. 

28 outubro 2014

Gol vai operar voo direto entre São Paulo e Juazeiro do Norte, no Ceará

aeroportojn

De acordo com a companhia, rota vai começar no dia 15 de novembro. Trecho contará com duas frequências diárias.

A Gol Linhas Aéreas Inteligentes anunciou nesta terça-feira (28) que vai iniciar no dia 15 de novembro uma rota, sem escalas, para Juazeiro do Norte, partindo do Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo. Segundo a Gol, este será o primeiro voo direto que sai de Juazeiro do Norte com destino na região sudeste do país.

De acordo com a companhia, o trecho contará com duas frequências diárias, saindo do Aeroporto de Guarulhos às 00h30, com chegada às 2h20 em Juazeiro do Norte. A volta acontece às 2h50 no Aeroporto de Juazeiro do Norte, com pouso previsto para às 6h45, em São Paulo. As viagens serão realizadas em aeronaves modelo Boeing 737-700.

Juazeiro do Norte é conhecida como terra do Padre Cícero e um dos maiores centros de religiosidade popular do Brasil. A cidade também abriga grandes grupos varejistas nacionais e internacionais. Com a nova rota, a Gol vai deixar de operar o voo diário Recife/Juazeiro do Norte. De acordo com a Prefeitura de Juazeiro, o prefeito Raimundo Macedo já pediu à empresa a manutenção do voo direto para Recife. Para ele, a capital pernambucana tem uma estreita ligação com região do Cariri.

 

Do G1 CE

Papa Francisco diz que teorias do Big Bang e da evolução estão certas

PapaFranciscodizqueteoriasdoBigBangedaevoluoestocertas

FOTO: VINCENZO PINTO/AFP

O pontífice defendeu que podemos interpretar Deus como um "mágico com uma varinha", mas não necessariamente assim
O papa Francisco surpreendeu ao dizer nesta segunda-feira, 27, que as teorias científicas do Big Bang e da evolução estão corretas e não são incompatíveis com a existência de um criador. As considerações foram anunciadas na Academia Pontifícia de Ciências, onde ele inaugurou no local o busto do antecessor, Bento XVI.
Segundo ele, a teoria do Big Bang, que explica a origem do mundo, na verdade justifica um criador. "Quando lemos sobre a crianção no Gênesis, corremos o risco de imaginar que Deus era um mágico com uma varinha capaz de fazer tudo. Mas não é isso", completa.
Francisco afirma também que a teoria da evolução não de opões a ideia do criador divino. "Deus criou os seres humanos e permitiu que se desenvolvessem de acordo com leis internas que deu a cada um para que alcancem sua realização", explicou.


Mensagem
O papa Pio XII já havia tratado positivamente as teorias da evolução. Em 1996, ele disse que a evolução era "um fato comprovado". Bento XVI, por sua vez, chegou a defender a tese da seleção natural com um "design inteligente", implícito na evolução". Para ele, a evolução não seria um processo sem planejamento.
Sobre Bento XVI, Francisco disse que"ninguém pode dizer que o estudo e a ciência fizeram com que ele e seu amor por Deus e pelo próximo diminuíssem". "Ao contrário, o conhecimento, a sabedoria e a oração ampliaram seu coração e seu espírito", avaliou.

Redação O POVO Online com AFP

Foguete da Orbital Science explode durante lançamento

fogueteespacialexplode

Um foguete não tripulado da companhia Orbital Science explodiu, nesta terça-feira, seis segundos após o lançamento da missão de reabastecimento da Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês), informou a Nasa.

"O foguete Antares sofreu um acidente logo após a decolagem", reportou o centro de controle da missão da Nasa, em Houston, no Texas.

"Não há feridos e não falta ninguém do pessoal da base", informou o site da Nasa.

Chamas foram vistas na plataforma de lançamento costeira, depois que o foguete decolou na Ilha Wallops, Virgínia, no pôr-do-sol, às 18h22 locais (20h22 de Brasília).

As causas da explosão ainda não estão claras.

"Neste momento, parece que os danos estão limitados à instalação" de lançamento, informou um comentarista da Nasa.

O controle da missão da Nasa informou que o acidente aconteceu logo depois que a nave de carga não tripulada Cygnus foi lançada rumo à ISS, transportando quase 2,3 toneladas de provisões para os seis astronautas a bordo da estação orbital.

Este foi o primeiro lançamento noturno do foguete Antares, informou a Orbital.

A missão, conhecida como CRS-3, era a quarta viagem da Orbital para a ISS, contando com o voo de demonstração.

Na segunda-feira, o lançamento foi adiado por 24 horas, devido à presença de um navio no Atlântico, dentro do perímetro de segurança determinado para a operação.

A Cygnus deveria se acoplar à ISS em 2 de novembro. Quase um terço da carga (cerca de 700 toneladas) correspondia a material para experimentos científicos.

Um desses experimentos é sobre a irrigação do cérebro e do coração quando na ausência de gravidade. Os resultados dessa experiência podem ter efeitos no tratamento de doenças neurológicas, como o Mal de Alzheimer.

A missão que deveria iniciar nesta terça era a terceira prevista no contrato de US$ 1,9 bilhão firmado pela Nasa com a Orbital Sciences Corporation para o abastecimento da ISS.

A Orbital utilizou cápsulas Cygnus nas entregas feitas em janeiro e julho deste ano.

AFP - Agence France-Presse

STF determina que José Dirceu termine de cumprir pena em casa

josedirceu

Alan Sampaio / iG Brasília

Por Wilson Lima , iG Brasília

 

Decisão do ministro Luís Roberto Barroso acatou parecer da Procuradoria Geral da República (PGR) em favor da prisão domiciliar; ex-ministro deve deixar prisão na próxima semana

O ex-ministro-chefe da Casa Civil José Dirceu foi autorizado a terminar de cumprir em casa sua pena de 7 anos e 11 meses de prisão por envolvimento no escândalo do mensalão. A decisão foi anunciada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso, nesta terça-feira (28).

 

Ex-ministro da Casa Civil é fotografado em seu primeiro dia de trabalho no semiaberto, em julho

Desde a segunda-feira da semana passada, Dirceu já tinha condições de fazer sua progressão de pena do regime semiaberto, ao qual ele está atualmente, para o regime aberto. Preso desde o dia 15 de novembro do ano passado, Dirceu somente iria progredir para o regime aberto em março do ano que vem, mas ele conseguiu descontar 142 dias de pena em função de cursos feitos na prisão, leituras e do trabalho que ele vem exercendo em um escritório de advocacia de Brasília.

Apesar da autorização do ministro Barroso, a progressão de pena somente se dará na próxima semana, quando Dirceu terá uma audiência na Vara de Execuções Penais de Brasília para saber detalhes de como será o cumprimento de pena a partir de agora.

Atualmente, o ex-ministro-chefe da Casa Civil dorme na Centro de Progressão Penitenciária, uma unidade de cumprimento de regime semiaberto e passa o dia trabalhando em um escritório de advocacia no Centro de Brasília. Com a mudança de regime, Dirceu continuará trabalhando no escritório mas poderá dormir em casa. A tendência é que ele não seja monitorado por uma tornozeleira eletrônica.

Último a se pronunciar nos julgamentos do STF, Celso de Mello foi pressionado para votar contra a validade de recursos do mensalão, mas se manteve a favor. Foto: Alan Sampaio / iG Brasília

Além disso, no regime domiciliar, o preso é obrigado a ficar em casa das 21h e 5h da manhã e qualquer saída que não seja fora dos padrões deve ser autorizado pelo juiz da Execução Penal. Além disso, Dirceu não pode ser flagrado conversando com outros condenados no mesmo processo e ele precisa se apresentar bimestralmente à Vara de Execuções Penais para relatar sobre o cumprimento de sua pena.

 

Mesmo cumprindo pena em casa, Dirceu não pode ser flagrado portando armas, ingerindo bebida alcoólica, freqüentando bares e também não deve participar de atividades políticas públicas.

Com a liberação de Dirceu, todo o núcleo do PT condenado no mensalão passará a cumprir pena domiciliar. O ex-presidente do PT José Genoino e o ex-tesoureiro da legenda Delúbio Soares também já estão cumprindo pena em casa.

     

http://ultimosegundo.ig.com.br/

Obama defende medidas dos EUA contra Ebola e apoia voluntários na África

obama4O presidente norte-americano, Barack Obama, fala sobre a resposta dos EUA ao surto de Ebola, na Casa Branca, em Washington, nesta terça-feira. 28/10/2014 REUTERS/Kevin Lamarque

ATLANTA/WASHINGTON (Reuters) - Depois que a segunda de duas enfermeiras infectadas enquanto tratavam um paciente com Ebola deixou um hospital de Atlanta, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse nesta terça-feira que as políticas adotadas por seu país não deveriam desestimular os norte-americanos dispostos a combater o surto na África Ocidental.

Foi a primeira manifestação de Obama desde que Estados como Nova York e Nova Jersey impuseram quarentenas automáticas de 21 dias, tempo máximo de incubação do vírus, a médicos e enfermeiras que voltarem dos três países mais afetados pela epidemia, regras que extrapolam as diretrizes federais.

“Não queremos desencorajar nossos agentes de saúde a ir para as frentes de combate e lidar com isto de maneira eficaz”, declarou Obama a repórteres no gramado sul da Casa Branca.

Obama afirmou que estes profissionais, muitas vezes voluntários de grupos humanitários internacionais, deveriam ser “aplaudidos, apoiados e receber agradecimentos”.

“E podemos fazer com que, quando voltarem, sejam monitorados de forma prudente. Mas queremos fazer com que se entenda que estão lá trabalhando para Deus. E estão fazendo isso para nos manter a salvo”, acrescentou.

Alguns Estados impuseram suas próprias salvaguardas, como quarentenas obrigatórias para médicos e enfermeiras vindos da Libéria, de Serra Leoa e da Guiné, argumentando que as medidas federais não protegem o público adequadamente. Alguns parlamentares, especialmente republicanos, classificaram a reação do governo Obama de inepta.

Autoridades de saúde federais e outras criticaram as medidas mais rígidas por serem potencialmente contraproducentes, dizendo que podem impedir médicos norte-americanos e outros profissionais de saúde de se oferecerem para ajudar a combater o surto em sua origem no oeste africano.

“Não queremos fazer coisas que não são baseadas na ciência e nas melhores práticas, porque senão só estamos colocando mais um obstáculo para alguém que já está fazendo um trabalho importante por nossa causa”, declarou o mandatário, observando que conter o surto na África protegerá mais os cidadãos de seu país do Ebola.


QUARENTENAS

A primeira pessoa posta em quarentena de acordo com a política de Nova Jersey foi Kaci Hickox, enfermeira que testou negativo para o vírus, mas ficou isolada durante dias na tenda de um hospital de Newark. Ela disse que seus “direitos constitucionais básicos” foram violados.

Em outro sinal de como os temores do Ebola afetaram muitas comunidades, um pai processou uma escola primária de Connecticut nesta terça-feira alegando que sua filha foi discriminada e expulsa da escola por ter comparecido a um casamento na Nigéria.

Em Atlanta, a enfermeira Amber Vinson, de 29 anos, foi liberada do Hospital Universidade Emory depois de ser declarada livre da doença na sexta-feira passada. Obama disse ter conversado com Vinson por telefone nesta terça-feira.

A outra enfermeira, Nina Pham, de 26 anos, que trabalhava no hospital Texas Health Presbyterian, de Dallas, também teve diagnóstico negativo para o vírus na sexta-feira, foi liberada no mesmo dia e se encontrou com Obama no Salão Oval da Casa Branca.

No momento em que as preocupações com a disseminação da febre hemorrágica aumentam, o Pentágono anunciou que o secretário de Defesa, Chuck Hagel, cogita uma recomendação dos principais comandantes militares: um período “estilo quarentena” de monitoramento de 21 dias para todos os soldados norte-americanos voltando ao país depois de participar dos esforços de reação ao Ebola no oeste da África.

O anúncio se segue a outro, de segunda-feira, do Exército, informando que está isolando soldados recém-chegados de sua missão africana em sua base em Vicenza, no nordeste da Itália, embora não exibam sintomas da infecção, nem se acredite que tenham sido expostos ao vírus.

(Reportagem adicional de Colleen Jenkins, Doina Chiacu, Chris Helgren, Roberta Rampton, Phil Stewart e David Alexander)

 

Por Tami Chappell e Roberta Rampton

Bancos cortaram 3,3 mil empregosBancos cortaram 3,3 mil empregos

graficodescendente
Uma pesquisa divulgada nesta terça-feira pela Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) e feita em parceria com o Dieese aponta que, embora 904.913 novos empregos tenham sido criados pela economia brasileira entre janeiro e setembro deste ano, 3.325 postos de trabalho foram fechados pelo setor financeiro no mesmo período.

De acordo com o estudo, elaborado com base no números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), 20 estados apresentaram saldos negativos de emprego entre janeiro e setembro de 2014. As maiores reduções ocorreram em São Paulo, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro e Minas Gerais, com 1.091, 704, 562 e 534 cortes, respectivamente.

Ainda segundo o levantamento da Contraf-CUT/Dieese, além do corte de vagas, a rotatividade continuou alta no período. Os bancos brasileiros contrataram 25.702 funcionários e desligaram 29.027. A remuneração dos trabalhadores também foi abordada pela pesquisa. O salário médio dos admitidos pelos bancos nos primeiros oito meses do ano foi de R$ 3.321,80 contra o salário médio de R$ 5.251,76 dos desligados.

Desigualdade entre homens e mulheres Embora as mulheres representem metade da categoria e sejam mais escolarizadas, continuam ganhando menos do que os homens quando são contratadas e quando são desligadas dos seus postos de trabalho.

Enquanto a média dos salários dos homens na admissão foi de R$ 3.766,64 nos primeiros nove meses do ano, a remuneração das mulheres ficou em R$ 2.856,42, valor 24% inferior à remuneração de contratação dos homens.

Já a média dos salários dos homens no desligamento foi de R$ 6.017,79 no período, enquanto a remuneração das mulheres foi de R$ 4.425,34. Isso significa que o salário médio das mulheres no desligamento é 26% menor que a remuneração dos homens.

Terra

'Não fugi, eu salvei minha vida', diz Pizzolato após ser solto na Itália

pizzolatoJustiça italiana negou pedido de extradição do ex-diretor do Banco do Brasil. Condenado pelo mensalão, ele fugiu em 2013 e foi preso em fevereiro.

 

Solto nesta nesta terça-feira (28) pela Justiça da Itália, o ex-diretor de Marketing do Banco do Brasil Henrique Pizzolato, condenado no processo do mensalão, afirmou, ao sair da cadeia, que sua condenação foi injusta. Questionado se tinha valido a pena ter fugido do Brasil, ele respondeu: "Eu não fugi, eu salvei minha vida. Você não acha que salvar a vida não vale a pena?", afirmou, em entrevista a jornalistas.
"Fiz meu trabalho no banco, o banco não encontrou nenhum erro no meu trabalho. O banco sempre disse que não sumiu um centavo. Não é um banco pequeno, é o maior banco da América Latina, é um banco que tem um enorme sistema de controle", disse.

Mais cedo, a Corte de Apelação de Bolonha negou o pedido de extradição do governo brasileiro. Preso desde fevereiro, Pizzolato foi libertado ainda nesta terça, por ordem da mesma decisão que negou a extradição.

Condenado no Brasil a 12 anos e 7 meses de prisão por corrupção passiva, peculato e lavagem de dinheiro, Pizzolato fugiu para a Itália em setembro do ano passado, mas foi preso em Maranello em fevereiro deste ano. Desde então, ficou preso em Modena aguardando o julgamento da extradição. Com a decisão desta terça, poderá responder ao processo em liberdade.

A PGR já anunciou que vai recorrer da decisão, que pode ser revertida em última instância na Corte de Cassação de Roma. O Ministério da Justiça informou que atuará em conjunto com a Procuradoria e a Advocacia-Geral da União em recurso contra a decisão. Mesmo que a Justiça decida pela extradição, a decisão final ainda caberá ao governo italiano.

Na audiência desta terça, em Bolonha, os três juízes que compõem a Corte de Apelação local decidiram negar o pedido de extradição acatando argumentos da defesa, que demonstrou  possibilidade de ele ser submetido a condições degradantes ou desumanas no Brasil.

Os advogados do brasileiro também alegaram que ele não teve direito de recorrer da decisão, pois foi julgado no Supremo Tribunal Federal, a mais alta instância do Judiciário. As razões da decisão de Bolonha só serão publicados em 15 dias. Só depois, o governo brasileiro e o Ministério Público da Itália poderão recorrer.

Alessandro Silvelli, advogado de defesa de Pizzolato, declarou que o ex-diretor do Banco do Brasil não entendeu a sentença assim que ela foi lida. "Ele está desorientado. Sua saúde está melhor. Pode ser que esta noite ele volte à cadeia em Modena e somente amanhã a sua casa, mas não temos certeza ainda".

Silvelli afirmou que "não foi permitido o recolhimento de provas para uma investigação paralela" e que pesou sobre a decisão do juiz "a denúncia sobre as condições das prisões no Brasil". Ainda segundo a defesa, o juiz considerou que o ex-diretor não deveria ter sido julgado no STF porque não era congressista.

Pizzolato ainda responde a processo por ter entrado na Itália usando documento falso, mas pode responder em liberdade.

Sessão
O julgamento do pedido foi realizado na Corte de Apelações do Tribunal de Bolonha. Pizzolato estava detido no presídio Sant’Anna di Modena, na cidade italiana de Modena, chegou por volta das 10h locais (7h de Brasília) ao tribunal, onde acompanhou a audiência. Ele foi transferido em um veículo da Polícia Penitenciária.

A sessão começou às 11h locais (8h de Brasília) e foi suspensa às 15h locais (12h de Brasília). Nesse horário, os juízes responsáveis entraram em uma sala reservada para tomar sua decisão.

O julgamento do pedido teve início em 5 de junho, mas as juízas responsáveis pelo casoconcederam na época um prazo para que a defesa de Pizzolato analisasse documentos apresentados pelo Ministério Público Federal sobre as condições dos presídios brasileiros.

O Ministério Público da Itália havia se posicionado de forma favorável à extradição no primeiro semestre deste ano. Em maio, a Justiça do país europeu havia rejeitado o pedido da defesa para que ele pudesse aguardar em liberdade a decisão sobre o processo de extradição.

O caso é polêmico porque ele tem dupla cidadania (brasileira e italiana) e, por isso, o governo italiano, que tem a decisão final, poderia se recusar a extraditá-lo, mesmo com aprovação da Justiça. No entanto, ao contrário do Brasil, não há proibição na legislação italiana para a extradição de nacionais.

De acordo com a Procuradoria-Geral da República, o procurador Eduardo Pellela está desde a última sexta (24) na Itália e irá acompanhar o julgamento. Nesta segunda (27), ele se reuniu com procuradores italianos, para trocar informações sobre o processo.
Em entrevista coletiva em julho deste ano, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, afirmou que o Brasil apresentou à Justiça italiana documentos que comprovam que o presídio da Papuda, no Distrito Federal, e as penitenciárias de Santa Catarina, onde o Pizzolato tem domicílio, têm condições de abrigar o ex-diretor do Banco do Brasil em condições que “respeitam os direitos humanos”.

“Uma das linhas de defesa era dizer que os presídios brasileiros não têm condições de receber o preso. Como o réu também tem direito de cumprir pena em presídios próximos ao domicílio, pedi que indicassem dois presídios em Santa Catarina. Fizemos relatório sobre esses dois presídios para demonstrar que, no cumprimento da pena, não havia ofensa aos direitos humanos”, disse Janot.
* Colaborou o G1, em Brasília

Do G1, com informações do Jornal Nacional

Paraibano, Hulk ataca jornalista que chamou Nordeste de 'retrógrado' e 'bovino'


hulk

Hulk reclamou de comentário feito por jornalista sobre o Nordeste

O atacante Hulk, que é paraibano, decidiu entrar em defesa do Nordeste após a polêmica do resultado das eleições presidenciais, realizadas no último domingo. Ele se revoltou com comentário feito pelo jornalista Diogo Mainardi, da GloboNews, que descreveu a região como "retrógrada" e "bovina" por concentrar votos na candidata Dilma Rousseff, do PT, e não em Aécio Neves, do PSDB - Dilma foi reeleita com 51,64% dos votos.

"Morando tanto tempo fora do Brasil, o jornalista Diogo Mainardi não demonstra conhecimento pela importância do Nordeste ao país e principalmente respeito com a população nordestina", reclamou Hulk, em sua conta no Instagram, antes de citar nomes importantes da cultura brasileira, como o escritor Gracialiano Ramos, o cineasta Gláuber Rocha, o cantor Gilberto Gil e o ator José Wilker, todos nordestinos.


Bate-Bola também é política: comentaristas falam sobre reeleição de Dilma e relação com o esporte

O atacante do Zenit, da Rússia, também afirmou que Mainardi mostra "ignorância" e "arrogância" ao criticar o Nordeste, e ressaltou a "luta com humidade" dos nordestinos em busca de melhores condições de vida nos últimos anos.

"Infelizmente, o Mainardi demostra ignorância e arrogância quando crítica o Nordeste. Nossa população tem dificuldades e luta com humildade para melhorar sua condição de vida. As maiores dificuldades foram impostas pelos diversos Governos ao longo dos anos. Mainardi, respeite o Nordeste!", bradou Hulk.

Na eleição, Dilma saiu vitoriosa em todos os Estados do Nordeste, bem como em boa parte do Norte e em metade do Sudeste. Já Aécio mostrou força principalmente nas regiões Sul e Centro-Oeste, além de São Paulo.

Leia a postagem de Hulk no Instagram:

Morando tanto tempo fora do Brasil, o jornalista Diogo Mainard não demonstra conhecimento pela importância do Nordeste ao País e principalmente respeito com a população nordestina. Já que ele fala também de cultura, será que ele sabe a importância destes homens para o Brasil: Graciliano Ramos, Rui Barbosa, Glauber Rocha, Jorge Amado, Suassuna, Renato Aragão, Caetano Veloso, Gilberto Gil, José Wilker e Chico Anisio. Cito 10 importantes nomes nascidos no Nordeste em vários períodos que contribuíram para a evolução do Brasil. São escritores, poetas, pensadores, atores e compositores que ajudaram e são referências do Brasil no exterior. Infelizmente o Mainard demostra ignorância e arrogância quando crítica o Nordeste. Nossa população tem dificuldades e luta com humildade para melhorar sua condição de vida. As maiores dificuldades foram impostas pelos diversos Governos ao longo dos anos. Mainard, respeite o Nordeste!


'Dilma pode mexer na estrutura do futebol ainda neste mandato', diz Juca Kfouri

 

REUTERS

Filme contra drama da desocupação de favela para Olimpíada

cinema3
Enquanto as obras para os Jogos Olímpicos estão a todo vapor e por toda a cidade do Rio de Janeiro, o escritor, psicólogo, professor de roteiro da Universidade Federal Fluminense, e agora cineasta, Felipe Pena preferiu registrar o que ele chama de lado B das Olimpíadas. “Se Essa Vila Não Fosse Minha” é um documentário que conta um pouco da história da desocupação da favela da Vila Autódromo, que fica incrustada no que será futuramente o Parque Olímpico de 2016, onde há uma longe disputa entre moradores e a prefeitura pela posse do terreno.

O filma está inscrito em vários festivais internacionais - e é fora do país que Felipe Pena espera conseguir dobrar a intenção da prefeitura de acabar com a comunidade antes de 2016. No dia 18 de Janeiro, o filme terá sua primeira exibição no Rio apenas para convidados.

Durante oito meses, Felipe e sua equipe ouviram história de cerca de 583 famílias que moravam e moram no local. Isso porque muitas já saíram por conta de realojamentos feitos pelo município. Mas muitos preferiram ficar. E que os que ficaram viram seu local se transformar em uma verdadeira zona de guerra, pela destruição dos imóveis que foram desocupados.

Terra: Quando você foi pela primeira vez à Vila Autódromo e quando teve a ideia do documentário?

Felipe Pena: A história e inusitada. Sou pesquisador de televisão e ano passado fui a um evento em Cannes, na França. Na volta, vim ao lado de alguém da comunicação do Comitê Olímpico de Londres, que me convidou a visitar as obras do Parque Olímpico. Acabei não indo com ela, mas a Vila Autódromo me chamou a atenção. Entrei e comecei a conversar com as pessoas e tive a ideia de registrar isso. Chamei uns amigos e falei que não tínhamos dinheiro, mas que tínhamos uma missão de mostrar o que estava acontecendo.

Terra: A prefeitura alega que fez acordo para que os moradores saíssem e que quem não quisesse não precisava sair. A história é essa mesmo?

Felipe Pena: A prefeitura acenou com um grande pavão de um condomínio habitacional a dois quilômetros dali. Metade se encantou com o projeto e isso causou uma divisão e faz com a Vila Autódromo atual pareça a Berlim de 45. Isso porque uma família se muda, a prefeitura vai lá e destrói a casa. E quem fica, fica em um ambiente insalubre. Mas as pessoas resistem. Tem gente que tem registo de imóveis e até agora não tem decisão judicial obrigando que elas saiam. A prefeitura está forçando as pessoas a sair. É uma comunidade que existe lá há 40 anos. Agora eu pergunto: por que é que ali nunca houve um programa favela-bairro? Será que é porque o metro quadrado custa 9 mil reais? Estou perguntando. Todas as pessoas tem certificado de posse. A politica habitacional do rio é excludente.

Terra: Você chegou a saber das pessoas que saíram, se elas melhoraram de vida, se estão arrependidas?

Felipe Pena: A maioria se arrependeu de ter saído, mas não querem voltar. Uma das que saiu me disse: ”as pessoas que ficaram serão massacradas. Porque a prefeitura quer aquelas terras”. A prefeitura usou o poder de forma mais perversa. Teve gente que ficou feliz em se mudar sim, claro. O que me motivou a fazer o filme é mostrar que mesmo mesmo com toda violência muitas pessoas insistem em ficar. Muitos criaram os filhos e os netos ali, tem história no lugar. É a história de suas vidas e elas não querem deixar isso para trás.

Terra: Você acha que com o filme vai conseguir mudar a intenção da prefeitura?

Felipe Pena: Minha tese é a do Leon Tolstói: quando você fala de sua vila, você fala do mundo inteiro. Esse é um exemplo. Não acho que o filme vá ter grande repercussão no Brasil. Minha esperança são os festivais internacionais. Fomos selecionados para o festival em Pequim, na China. Os chineses estão interessados porque eles tiveram olimpíadas e aconteceram coisas muito parecidas por lá. Agora estou esperando a resposta de outro festival no Egito. Se tiver pressão internacional talvez a prefeitura faça algum tipo de urbanização no local. Existe até um projeto pronto. A Vila onde está não atrapalha em nada o projeto das Olimpíadas.

Terra

Inadimplência das empresas brasileiras dispara 13,4% em setembro

Inadimplencia-626x356

SPC Brasil informa ainda que havia cerca de 55,04 milhões de CPFs levados para registro no SPC ao final de maio – foto: Arquivo EM TEMPO

A inadimplência das empresas registrou alta de 13,4% em setembro, na comparação com o mesmo período do ano passado, segundo pesquisa da Serasa Experian, divulgada nesta terça-feira (28).

É a maior alta desde outubro de 2012, quando índice ficou em 13,8%. Em relação a agosto, no entanto, houve queda de 0,5%. Já no acumulado de janeiro a setembro, o indicador também registra elevação de 7,4% em relação aos nove primeiros meses do ano passado. As informações são da Agência Brasil.

Os economistas da Serasa creditam o resultado ao fraco desempenho da atividade econômica, que prejudica a geração de caixa das empresas. Eles destacam também a elevação dos custos, tanto financeiros quanto operacionais, como fator que leva ao endividamento.

Entre as despesas que prejudicam a saúde financeira das empresas, os economistas destacam os juros em patamares mais elevados e o aumento dos salários, acima dos ganhos de produtividade.

A leve queda mensal no indicador (-0,5%) foi influenciada principalmente pelo decréscimo das dívidas de cheques sem fundos, com variação negativa de 11,9%. As dívidas não bancárias (cartões de crédito, financeiras, lojas em geral e prestadoras de serviços) também tiveram declínio de 0,2%.

Dívidas com bancos

A inadimplência com bancos, por sua vez, ficou relativamente estável, variação de 0,1%. Houve elevação apenas no segmento de protestos com alta de 6,8%.

O valor médio dos cheques sem fundos caiu 6,2% no acumulado de janeiro a setembro ante igual período do ano passado, ficando em R$ 2.297,56. Também houve decréscimo (2,7%) no valor das dívidas com os bancos (R$ 4.934,87).

Os títulos protestados (9,8%) e as dívidas não bancárias (7,3%), por outro lado, tiveram acréscimo nos valores, ficando em R$ 2.254,12 e R$ 867,56, respectivamente.

Por Folhapress

Suíça inicia testes de vacina contra ebola

Ebola-storyA Suíça iniciará, na próxima sexta-feira (31), os primeiros testes de uma vacina experimental contra o vírus ebola, desenvolvida pela farmacêutica britânica GlaxoSmithKline. A vacina já está sendo testada no Reino Unido, nos Estados Unidos e no Mali, na África.

Os testes serão feitos no Hospital Universitário de Lausanne, com a participação de 120 voluntários e suporte da Organização Mundial da Saúde (OMS). Os pacientes serão monitorados durante seis meses - tempo suficiente para avaliar a segurança e eficácia da vacina. Entre os voluntários estão estudantes de medicina e profissionais de diferentes áreas de saúde, que viajarão para o território africano, onde vão ajudar a combater o ebola.

O professor Blaise Genton, chefe do Departamento de Doenças Infecciosas do Hospital de Lausanne, disse que confia na segurança da vacina. “É a mesma tecnologia que tem sido usada na vacina contra malária”, observou.

A estudante de medicina Marie Schmidhauser está entre os voluntários que participarão dos testes. “Eu fui muito bem informada, recebi informações precisas. Se todo mundo tiver medo, não será possível fazer os testes necessários e encontrar uma solução para o problema”, disse ela.

Os resultados dos primeiros testes garantirão informações necessárias para o planejamento de estudos maiores, envolvendo milhares de participantes.

Agência Brasil

Assembleia Geral da ONU volta a pedir fim do embargo americano a Cuba

cuba-bandeira

A AssembleiaGgeral da Organização das Nações Unidas (ONU) voltou a pedir hoje (28), por ampla maioria, o fim do embargo econômico, comercial e financeiro imposto a Cuba pelos Estados Unidos há 52 anos. A resolução foi aprovada por 188 votos a 2 e 3 abstenções. Os Estados Unidos e Israel votaram contra. As abstenções foram das Ilhas Marshall, a República de Palau e os Estados Federados da Micronésia.
Com 193 Estados-Membros, o órgão plenário das Nações Unidas adotou a resolução pela primeira vez em 1992. A votação desta terça-feira foi a 23ª consecutiva.
O embargo econômico contra Cuba foi imposto pelos Estados Unidos em 1962, depois do fracasso da invasão da ilha para derrubar o regime de Fidel Castro em 1961. O bloqueio mantém-se em vigor, mesmo depois de o presidente norte-americano Barack Obama ter- se manifestado pela abertura no início de seu primeiro mandato.

Em Lisboa, a embaixadora de Cuba em Portugal, Johana Tablada de La Torre Lisboa, disse que a resolução aprovada hoje na ONU confirma a condenação internacional de uma "política injusta" e atualmente contestada pela sociedade norte-americana. “É um dia importante”, disse a embaixadora. “Estamos em um ponto em que é quase impossível manter essa política por muito tempo”, acrescentou Johana. Para ela, o tempo é de mudança, e os Estados Unidos têm de ouvir a comunidade internacional, inclusive a voz de sua sociedade.
A embaixadora destacou ainda que os norte-americanos começam a ter a percepção das mudanças que ocorrem em Cuba. “Os Estados Unidos veem que o país segue em frente com mudanças importantes na estrutura econômica para desenvolver-se de maneira próspera e sustentável. E com novas leis de investimento, com oportunidades de participação de outros países”, concluiu.

Agência Brasil

Exposição sobre centenário de Dorival Caymmi chega a Brasília

 

caymi-1-15

Com  seu  inseparável violão,  o  cantor  e  compositor
baiano  passeia  na  praia   José  Cruz/Agência  Brasil

O Museu dos Correios abriu hoje (28), em Brasília, a exposição Caymmi 100 Anos, que poderá ser visitada até o dia 4 de janeiro.
A mostra, que já passou por São Paulo, celebra o centenário de nascimento do cantor e compositor baiano Dorival Caymmi, é dividida em quatro partes: Linha do Tempo, Música, Vida Familiar e Rádio. Na primeira, o filho de Caimmy, Danilo, que também é compositor, e a neta Stella, idealizadora da exposição, falam sobre a vida e as obras do cantor em um bate-papo com música.
"Nada mais importante do que fazer isso na abertura da exposição, porque quem vem já entra no clima”, diz Stella.

Dorival Caymmi nasceu em Salvador, no dia 30 de abril de 1914. Em 60 anos de carreira, gravou 20 discos e teve inúmeras composições gravadas por outros intérpretes. Entre seus maiores sucessos, estão O Que É Que a Baiana Tem?, Modinha para Gabriela, Samba da Minha Terra e Samba da Bahia. O compositor morreu no Rio, onde vivia, no dia 16 de agosto de 2008.

Para Stella, que passou os últimos 25 anos escrevendo sobre Caymmi, a mostra é a materialização de um sonho. ”O principal aqui é mergulhar na obra de Caymmi, mergulhar na imagética dele, nos temas. Caymmi emoldura o folclore e registra a vida dele, registra a época dele musicalmente, pelas letras e pelos ritmos. As músicas são chamadas postais, porque existe visualidade na música. E, em uma exposição, [isso] fica abundante.”

De acordo com Stella, a exposição chama a atenção pelas vertentes de Caymmi, pelas imagens que ele constrói. “As músicas dele não são abstratas, são vivas. Tem quatro vertentes principais: as praieiras, em que aparecem a jangada e toda a mitologia praieira, com a Iemanjá, tem as pinturas ligadas ao mar; os postais da Bahia; as músicas que descrevem a Bahia, sua culinária, como O Que É Que a Baiana Tem?, a arquitetura da música Você Já Foi à Bahia?, em que ele fala da capoeira; e as mulheres”, completou Stella.

O Museu dos Correios fica no Setor Comercial Sul, área central de Brasília. A entrada é gratuita e a mostra pode ser visitada de terça a sexta-feira, das 10h às 19h, e aos sábados, domingos e feriados, das 12h às 18h.

Editor Nádia Franco

Agência Brasil

Exposição sobre centenário de Dorival Caymmi chega a Brasília

 

caymi-1-15

Com  seu  inseparável violão,  o  cantor  e  compositor
baiano  passeia  na  praia   José  Cruz/Agência  Brasil

O Museu dos Correios abriu hoje (28), em Brasília, a exposição Caymmi 100 Anos, que poderá ser visitada até o dia 4 de janeiro.
A mostra, que já passou por São Paulo, celebra o centenário de nascimento do cantor e compositor baiano Dorival Caymmi, é dividida em quatro partes: Linha do Tempo, Música, Vida Familiar e Rádio. Na primeira, o filho de Caimmy, Danilo, que também é compositor, e a neta Stella, idealizadora da exposição, falam sobre a vida e as obras do cantor em um bate-papo com música.
"Nada mais importante do que fazer isso na abertura da exposição, porque quem vem já entra no clima”, diz Stella.

Dorival Caymmi nasceu em Salvador, no dia 30 de abril de 1914. Em 60 anos de carreira, gravou 20 discos e teve inúmeras composições gravadas por outros intérpretes. Entre seus maiores sucessos, estão O Que É Que a Baiana Tem?, Modinha para Gabriela, Samba da Minha Terra e Samba da Bahia. O compositor morreu no Rio, onde vivia, no dia 16 de agosto de 2008.

Para Stella, que passou os últimos 25 anos escrevendo sobre Caymmi, a mostra é a materialização de um sonho. ”O principal aqui é mergulhar na obra de Caymmi, mergulhar na imagética dele, nos temas. Caymmi emoldura o folclore e registra a vida dele, registra a época dele musicalmente, pelas letras e pelos ritmos. As músicas são chamadas postais, porque existe visualidade na música. E, em uma exposição, [isso] fica abundante.”

De acordo com Stella, a exposição chama a atenção pelas vertentes de Caymmi, pelas imagens que ele constrói. “As músicas dele não são abstratas, são vivas. Tem quatro vertentes principais: as praieiras, em que aparecem a jangada e toda a mitologia praieira, com a Iemanjá, tem as pinturas ligadas ao mar; os postais da Bahia; as músicas que descrevem a Bahia, sua culinária, como O Que É Que a Baiana Tem?, a arquitetura da música Você Já Foi à Bahia?, em que ele fala da capoeira; e as mulheres”, completou Stella.

O Museu dos Correios fica no Setor Comercial Sul, área central de Brasília. A entrada é gratuita e a mostra pode ser visitada de terça a sexta-feira, das 10h às 19h, e aos sábados, domingos e feriados, das 12h às 18h.

Editor Nádia Franco

Agência Brasil

Neymar entra na disputa

neymar10Rafael RibeiroNeymar brilhou na Copa, mas sofreu contusão e viu o Brasil cair

Zurique (AE) - A Fifa anunciou oficialmente ontem uma lista prévia de 23 nomes indicados ao prêmio de melhor jogador do mundo de 2014. E Neymar e Diego Costa, este naturalizado espanhol, são os únicos brasileiros figurando no grupo de finalistas à Bola de Ouro da entidade, que será entregue no próximo dia 12 de janeiro, em Zurique, na Suíça.

 

Principal nome do Brasil na Copa do Mundo de 2014, o atacante do Barcelona, porém, é um azarão nesta premiação, assim como Diego Costa, que realizou um Mundial ruim pela Espanha, depois de ter se destacado como goleador com a camisa do Atlético de Madrid e em seguida se transferido para o Chelsea.
A Alemanha, atual campeã mundial, conta com seis finalistas e é o país com maior número de indicados ao prêmio. São eles: Toni Kroos, Philipp Lahm, Thomas Müller, Manuel Neuer, Mario Götze e Bastian Schweinsteiger.
O argentino Lionel Messi, vencedor de quatro edições seguidas da Bola de Ouro, e o português Cristiano Ronaldo, atual vencedor da honraria, também estão entre os 23 finalistas.
Treinadores
A Fifa também anunciou ontem uma lista de dez nomes que concorrem ao prêmio de melhor técnico do ano. O Brasil não conta com nenhum representante nesta disputa, sendo que Felipão foi o único dos quatro treinadores que levaram suas respectivas seleções às semifinais da Copa de 2014 a não integrar o grupo de concorrentes. Os outros são Joachim Löw, campeão pela Alemanha, Alejandro Sabella, vice pela Argentina, e Louis van Gaal, terceiro colocado com a Holanda.
A Fifa irá anunciar no próximo dia 1º de dezembro os três jogadores finalistas à Bola de Ouro, sendo que a decisão derradeira sobre o vencedor a ser eleito está nas mãos de capitães e técnicos de seleções nacionais masculinas, assim como na de jornalistas escolhidos pela “France Football”, revista que organiza a premiação em conjunto com a entidade que controla o futebol mundial.

http://tribunadonorte.com.br/

OS GROTÕES DE MISÉRIA, DESPOLITIZADOS.


Vimos aí no dia 26 de Outubro, a continuação de uma velha história; Não a vitória de uma pessoa, mas de um sistema secular, o voto da ignorância. Mas eu não culpo o povão pela ignorância. Povo é apenas massa de manobra; Foi-lhes dito que o candidato da oposição Aécio Neves acabaria com o BOLSA MISÉRIA de que eles vivem pendurados, porque o governo não tem capacidade para gerar emprego e renda, além de outros tipos de TERRORISMO ELEITORAL.. Nos grotões de pobreza que os políticos mantem há décadas para se perpetuarem no poder, as pessoas são despolitizadas ( São os chamados inocentes úteis ). Na verdade, geograficamente falando, a maior parte do Brasil que pensa politicamente, começa da metade para o sul. E os políticos não estão interessados de forma alguma em erradicar a miséria e formar um povo politizado, conhecedor das realidades do resto do mundo, porque um povo que tem a capacidade de pensar e interagir, ainda é o maior perigo para os políticos desonestos. Continuamos, amiúde, a seguir o padrão VIDAS SECAS, tão bem retratado na obra de Graciliano Ramos, onde o povo serve apenas de instrumento para a perpetuação no poder, de uma corruptocracia.

Por: Dihelson Mendonça



Rescaldo das urnas - Por: Emerson Monteiro

Quase nem se comenta mais dos acordos pela governabilidade, envolvendo partidos antes impossíveis de aliança, mas que hoje completam maleáveis quóruns, suficientes da tramitação de matérias essenciais. As formas de negociação da liderança petista ensinam lições inovadoras da política. Quem chegou a dar maior trabalho nos jogos de poder vinha dos próprios quadros partidários. Aqueles caciques históricos das legendas conservadoras se adaptaram com extrema facilidade às novas regras, a ponto de quase inexistir, no Brasil de hoje, frente de oposição considerável.

O estilo ortodoxo das origens do Partido dos Trabalhadores disseminou métodos de consenso jamais previstos, alojando cascas e nós no seio da máquina administrativa, o que representa hoje a soma dos resultados, inclusive nos votos da derradeira eleição.

No entanto, diante das comentadas boas habilidades do novo governo, resta perguntar pela efetividade daquilo que importa, ou seja, os resultados fiéis à grande expectativa da população antes sem voz, nem voto. E agora representada pelos seus pares.

Nisso tudo, indagações afloram no rumo de saber qual o jogo de cintura das ações presidenciais reformistas, naquele mundo burocrático de Brasília, feito de meio milhão de funcionários oficiais e representações estrangeiras, pedaço frio e distante da realidade nacional.

Até onde chegarão as reformas em termos palpáveis, para modernizar a sociedade com leis suficientes de conotação igualitária, justa e democrática? – pergunta que vem à tona antes e depois dos debates.

Um país extenso clama por comando inspirado na sensatez e no cumprimento do dever das autoridades. Valores sociais hão de predominar, a fim de permitir plena marcha à gente esquecida, enjeitada no berço por interesses antes egoístas.

A rica árvore da Nação quer frutos limpos, em que o peso da honestidade prevaleça na alma dos que chegam aos cargos elevados no intuito de bem servir e não de serem servidos, livres de corrupção, negociatas, corporativismos perniciosos. Disso condições existem, paridas no eito do trabalho e no suor penoso dos pequenos, que sonham e nutrem esperanças e certezas.

Por seu lado, preparo, boas vontades, união sem subterfúgio, superam dívidas e problemas estruturais, conquanto trazem padrões sadios e elementos imprescindíveis a resultados permanentes.

De tal forma, transpostos embates congressuais, entrarão em campo os indicadores sociais que irão mostrar a cara nova; sem prazos específicos, que mostrem, porém, mudanças verdadeiras, sob um ordenamento coerente da máquina institucional.  Que cheguem, pois, as decantadas reformas!


Edições Anteriores:

Outubro ( 2014 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31